A necessidade da equivalência de forças preventivas contra o crime organizado.


O crime ORGANIZADO assume esta nomenclatura por ter objetivos claros e bem definidos, trabalham em cima de um planejamento bem elaborado a partir das premissas: Cogitação – Preparação – Execução – Consumação.


Fazem o uso eficiente dos recursos disponíveis e estão EQUIPADOS com armamentos de grosso calibre e confiáveis, tem a disposição sistemas de comunicação diversos e seguros, os meios de fuga há uma gama muito grande de veículos com características de motorização e resistência, além de blindagens e até aeronaves, os equipamentos de proteção individual e acessórios complementares também são vistos hoje em dia, numa evidente “profissionalização do crime”.


São MARGINAIS a lei, pois pouco lhes afeta o risco da condenação e prisão, marginais ao medo que decorre do bom planejamento e audaciosos, fator da natureza humana quando está confiante na ação.


Estes elementos são mutáveis e se ajustam aos seus interesses na proporção que os sistemas de defesa evoluem, com a vantagem de não ter qualquer pressão pela decisão da execução e ainda tendo a seu favor o elemento surpresa.


Os sistemas de defesa por sua vez precisam de atualização permanente, como se estivessem numa caça eterna do gato ao rato, com SISTEMAS INTEGRADOS, por protocolos abertos, integrável a outros subsistemas periféricos e centrais, intercambiáveis e funcionais.


As PLATAFORMAS precisam ser versáteis e de uso dinâmico diante da velocidade exigida em situações de incidentes flagrantes. Sua robustez é necessária para garantir longevidade aos equipamentos e justificar seus investimentos, tendo inclusive características interativas na disponibilidade das informações necessárias, para a construção dos fatos e diagnóstico nas tomadas de decisão.


Soluções CONFIÁVEIS garantem ações eficazes e agilidade nas tomadas de decisões e isto se traduz por comandos intuitivos, por isso a escolha da solução tecnológica requer personalização e customização específica na construção das centrais de controles, a sala de gestão operacional.


As movimentações estratégicas de ataques criminosos e a necessidade de adequação permanente dos sistemas de defesa tecnológico, o fator dos Recursos Humanos tem que se posicionar rapidamente se preparando constantemente para estas mudanças, a fim de garantir um CONTROLE absoluto, organizando as informações e ordenando ações de modo eficiente.


Diante desta circunstância o TREINAMENTO passa a ter papel primordial na estratégia de defesa, treinamentos técnicos para assimilação das novidades tecnológicas, treinamentos táticos no emprego integrado destas soluções e na interação com as equipes operacionais, garantindo precisão nas medidas de pronta resposta.


O campo da INTELIGÊNCIA é o palco desta batalha, só assim é possível garantir as medidas preventivas de proteção, trabalhando as informações antecipatórias e a base de dados para estudo analítico, gerando um report preciso às equipes gestoras e forças policiais para tomada das ações de mitigação e não de reação.


 Bernardino de Jesus

Consultor Sênior de Segurança - Proprietário

0 visualização

Bernardino de Jesus  |  Especialista em Segurança Física de Instalações  |  BJ Assessoria e Consultoria de Segurança  |  011 99223-7529 

© Copyright 2023  Strategic Consulting